Uma ode à culinária nordestina na Casa de Taipa

#RESTAURANTEDASEMANA


Casa de Taipa

A nostalgia tomou conta do #restaurantedasemana. Dá o play na música e me acompanha no ritmo.

Era uma casa / muito alinhada

Com tapiocas / bem recheadas

Ninguém saía / insatisfeito não

Porque na casa / não tinha um não! 

Todos podiam / comer direito

Porque na casa / tinha respeito

Tanta delícia / encontrei ali

E mostro agora / tudinho aqui

Lá tudo é feito / com muito esmero

Com muito amor / carinho e afeto!

Visitar a Casa de Taipa, tapiocaria que diz ser a primeira do Brasil, localizada em Natal-RN, foi tão nostálgico quanto parodiar Vinícius de Moraes. É impossível não sentir-se acolhido como na casa da vovó, nos áureos tempos de infância, com tamanho capricho.

A casa serve tapioca desde 2001, sempre preparada de forma artesanal e com todos os recheios possíveis. Os sabores evidenciam a goma de mandioca e ressalta a gastronomia da terra potiguar, com direito a opções de petiscos, cuscuz, bebidas e também sobremesas.

Casa de Taipa tem banquete de opções regionais. FOTO: Rafael Pereira para Conversa Gastronômica®

Para divertir a boca nada melhor que uma porção de Nuvem de Camarão. O prato traz o filé do crustáceo empanado na goma de mandioca com molho cremoso de cheiro verde. A combinação resulta em um petisco extremamente crocante, com aroma irresistível e combinação de sabores harmoniosa. A apresentação do prato, servido em uma peneira de cruzeta – ou urupema, é divertida.

Nuvem de Camarão (R$26). FOTO: Rafael Pereira para Conversa Gastronômica®

Um dos melhores camarões empanados que já comi na vida

Iago Cavalcanti

As tapiocas da Casa de Taipa são o carro-chefe e o diferencial do lugar, a começar pelo recheio. Elas são elaboradas como uma refeição e mais parecem “recheio com tapioca” do que “tapioca com recheio”. O processo de peneirar a farinha e fazer cada uma de forma artesanal também garante uma textura diferenciada e macia. 

Tapioca Carne de Charque Papa Jerimum (R$26,50). FOTO: Rafael Pereira para Conversa Gastronômica®

Entre os recheios mais pedidos figura combinações regionais com carne de sol, carne de charque e camarão. A Carne de Charque Papa Jerimum tem a tapioca recheada com charque desfiada, creme de jerimum e queijo coalho grelhado na chapa. Além disso, um molho de nata acompanha a pedida.

O sabor é equilibrado, a textura é cremosa e a combinação muito agradável

Iago Cavalcanti
Opções para todos os gostos e cardápio variado. FOTO: Rafael Pereira para Conversa Gastronômica®

Os amantes do bolinho nordestino do amor, o cuscuz, também têm vez! A cuscuzeria produz a todo vapor variações clássicas e especiais da iguaria. O Cuscuz com Ovo e Creme de Queijo tem forte inspiração confort food de sabor caseiro, tendo ovos mexidos e creme de queijo manteiga com cebolinha.

Cuscuz com Ovo e Creme de Queijo (R$17). FOTO: Rafael Pereira para Conversa Gastronômica®

Para beber a casa dispõe de café coado (R$2), expresso (a partir de R$5), capuccino (a partir de R$8,50), sucos naturais (a partir de R$7,50), água de coco (R$5) e batidas especiais. A Batida de Creme com Castanha de Caju (R$18) tem sorvete de baunilha com vodka, creme de castanha e pedaços do fruto do caju granulado numa mistura refrescante.

Mil Folhas Pirangi (R$24). FOTO: Rafael Pereira para Conversa Gastronômica®

A massa de mandioca ainda ganha doçura em sobremesas criativas. Há possibilidade de adoçar o paladar de forma clássica, em taça ou versão mil folhas, com discos recheados. O Mil Folhas Pirangi é montado em camadas, de tapioca, brigadeiro de chocolate, morango, castanha de caju e coco. O doce tem a medida perfeita para encerrar a refeição e também dividir com alguém especial.

Ambiente tem elementos da cultura regional. FOTO: Rafael Pereira para Conversa Gastronômica®

O ambiente tem uma sensação única de nos transportar no tempo para casa da vovó através da riqueza de detalhes. O sertão nordestino e a cultura popular são ressaltados por meio de adornos e peças decorativas memoráveis. O teto, repleto de cestos de cipó, faz alusão ao solo seco da caatinga. A louça também é uma espetáculo à parte, com pratos e xícaras pintados à mão e taças artesanais de argila.

Casa de Taipa. FOTO: Rafael Pereira para Conversa Gastronômica®

Av. Praia de Ponta Negra, 8868. Ponta Negra. Natal-RN

Funcionamento: quinta-feira a terça-feira das 18h às 23h

Pagamento: à vista, crédito e débito

Contato: (84) 3219-5798

*Escrito em parceria com a Casa de Taipa

Posts Relacionados

Comentários via Facebook

Publicado pelo gastrônomo

Deixe uma resposta