3 métodos de café e chá para aquecer a estação

“Cafezinho” evoluiu e atualmente possui diversos métodos de preparo. FOTO: Saulo Rocha para Conversa Gastronômica®

O bom e velho “cafezinho”, paixão nacional de muitos brasileiros, já não pode mais ser considerado um simples “black“. Isso porque os grãos podem passar por um complexo processo de torra e métodos para extração que exigem uma série de cuidados e processos para garantir a perfeição da bebida. Apesar de consumido diariamente, de maio a outubro o Brasil respira condições climáticas ideais para apostar em bebidas quentes ou no tradicional cafezinho preparado com métodos especiais; já não é mais verão no país tropical.

Os métodos de preparo influenciam diretamente no resultado do Café

Aqui no CG eu já te dei 7 razões para beber café na semana e escrevi resenhas sobre algumas cafeterias de Natal-RN. Hoje eu mostro 3 métodos para café e chá que podem aquecer a estação. Todos estão disponíveis no Barões do Café, cafeteria especializada em difundir a cultura de apreciar café na Cidade do Sol.

 

1. CHEMEX

Chemex: tripla filtragem, bebida limpa e clara

O Chemex é um método de origem alemã muito semelhante à forma mais popular de fazer café: coado. Mas não se engane, apesar de também ser filtrado, ele passa por esse processo de forma tripla com um filtro extremamente fino com dobradura especial no coador.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Após o grão ser torrado e moído, adiciona-se o pó sobre o filtro e despeja água quente de forma contínua para coar o café lentamente. O resultado é uma bebida límpida e clara que valoriza a doçura e o aroma dos grãos. O grão utilizado foi o Sarchimor, de característica doce, baixa acidez e notas alcoólicas.

 

2. TURCO

Turco: sabor marcante e aromático

Também conhecido por Ibrick (bule utilizado em seu processo de extração), esse método muito popular no Oriente Médio e na Grécia garante uma obtenção de café diferenciada, com decantação do pó torrado e moído junto a especiarias. Os insumos são depositados num bule com água quente e infusionado no forno.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O preparo consiste em adicionar o grão com moagem turca (extrafina) num ibrick. Adiciona-se também cardamomo, canela, anis estrelado e água. A mistura é mexida levemente para não sedimentar e levada ao forno a 200ºC por alguns minutos. Após decantação do pó, é servido diretamente na xícara; também pode ser apreciado com leite. O grão utilizado foi Catuaí vermelho e amarelo de torra média.

 

3. CLEVER

Este slideshow necessita de JavaScript.

O Clever ou Vapt-Vupt é um método para bebidas infusionadas, isto é, que passam por um processo de “descanso” sob alta temperatura para garantir a preservação de sabor e aroma durante a extração. Ele pode ser utilizado tanto para café quanto para chá e possui filtragem ao término do processo. Sua origem é Chinesa.

Para filtrar a bebida basta acionar a alavanca sobre um recipiente

Preparar bebidas no coador inteligente, que já conta com filtro na base, é prático: o pó do café torrado e moído, ou ainda insumo desidratado para chá, vai ao fundo; após adicionar água quente, fecha-se o recipiente e aguarda o tempo de infusão. Para apreciar o preparo, basta colocar o coador sobre a xícara e acionar a válvula de liberação do líquido. Esse método também permite adicionar filtro de papel para uma bebida ainda mais límpida.

Chá preparado no método Clever

Aqui foi adicionado chá de maçã, canela, amêndoa e beterraba. Os chás também podem ser batidos com frutas congeladas para enriquecer o sabor e transformar a bebida numa espécie de suchá.

 

Barões do Café

Av. Engenheiro Roberto Freire (Shopping Seaway – Loja 07)

Funcionamento: Seg a Ter 14h às 21h30 / Qua a Sex 14h às 22h30h / Sáb e Dom 15h às 22h30

 

*Escrito em parceria com o Barões do Café

Despertei interesse pela gastronomia ainda criança. Aos 7 anos fiz brigadeiro na casa da minha avó após achar a receita numa coleção de confeitaria que eu costumava folhear escondido. Na adolescência cozinhar virou um hobby e criei o Conversa Gastronômica ainda na faculdade. Sou jornalista de formação e “gastrônomo” blogueiro de profissão.

Especiais

Deixe uma resposta