Arvo: comida brasileira e reinventada ao ar livre no Recife

Atum selado em lâminas

Brasilidade ao toque do chef. Essa é a principal característica dos pratos do Arvo Restaurante, sob comando de Pedro Godoy, em Recife-PE. O cardápio tem pés fincados na culinária local, com utilização de insumos do dia a dia em criações autorais para almoço e café da manhã – aos finais de semana. O preparo traduz uma técnica cosmopolita, onde o chef põe a prova toda sua bagagem nacional e internacional. Além disso abre caminho para outras casas no bairro do Torreão com uma forte tendência da zona norte da capital: os quintais gastronômicos ao ar livre.

O cupim bovino é um dos clássicos do restaurante que se apresenta em forma de croquete cremoso, para compartilhar e iniciar o banquete. A porção com seis unidades acompanha vinagrete com pimenta de cheiro e aioli (R$28). Outra possibilidade é pedir braseado, em lascas, com fritas de macaxeira, cebola tostada e molho roti (R$45).

Quem deseja uma refeição rápida pode optar pela mesma proteína na versão assada ao creme de milho, tendo cuscuz de arroz com coco e vinagrete de banana da terra e feijão verde de guarnição (R$40).

Ainda “da terra”, o chef traz como sugestão um mignon de sol, tenro, ao roti de rapadura e cebolas tostadas para duas pessoas comerem com fartura. Esse prato principal ainda ganha como acompanhamento um nhoque frito de batata com queijo parmesão, cebola crispy e bechamel de milho verde (R$98). Brasilidade pura.

Do mar o Arvo vem surfando na onda de aprimorar opções com atum tipo exportação. Destaque para o pescado selado, em lâminas, com tarê de coco, aioli de wasabi e macaxeira frita (R$80). Outras escolhas são o tartar com beiju de tapioca (R$60) ou o tuna and chips, onde o atum empanado é servido com molho tártaro e chips de macaxeira (R$45).

O Polvo é outro ingrediente que merece holofotes, já que o arroz caldoso com queijo parmesão, batata ao murro, berinjela empanada, amendoim e aioli empanado é outro prato cheio (R$150). Vez por outra também está disponível uma alternativa menos calórica e sem arroz.

Sazonalmente a casa dispõe de preparações conforme época de alguns insumos e variedade que brota na horta e no salão-pomar do estabelecimento. Esses elementos servem de inspiração para o executivo da semana, belisquetes e drinks disponíveis por tempo limitado.

As três sobremesas do cardápio são reinvenções que mesclam sabor e textura. Milho e coco tem bolo de fubá, bombom de cocada, sorvete de iogurte de coco, pipoca e suco de milho numa união de sabores memoráveis de infância de sítio (R$25). A cheesecake tem um biscoito de amêndoas com flores comestíveis e calda de morango (R$25); já o chocolatudo traz chocolate em cinco texturas: de calda à tuile (R$28).

Novidade: A casa acaba de anunciar o Arvo Ateliê, uma escola que vai funcionar já nesse primeiro trimestre de 2021 no pavimento superior da cozinha do restaurante. Será um espaço para cursos e aulas-show ministradas pelo chef Pedro Godoy e convidados para estudantes de gastronomia, profissionais do setor e entusiastas da boa cozinha.

Arvo Restaurante

R. Djalma Farias, 170. Torreão. Recife – PE

@arvorestaurante

Comentários Via facebook

Deixe uma resposta

voltar ao topo